Contato
Você está aqui:

Análise dos dados da PMS-AB

No ano de 2001, a Organização Mundial da Saúde (OMS) propôs a elaboração da Pesquisa Mundial de Saúde (PMS) em vários países membros, como parte de um projeto de avaliação de desempenho dos sistemas nacionais de saúde. Trata-se de um inquérito de base populacional, que abordou diversos aspectos da saúde da população para suprir os países membros de informações fidedignas. Entre os seus objetivos, estava o de assegurar a comparabilidade entre diferentes culturas ou grupos demográficos.

A PMS foi realizada no Brasil, no ano de 2003, mediante inquérito populacional, de âmbito nacional, em 5.000 domicílios escolhidos por amostragem probabilística. A execução da pesquisa no Brasil significou a oportunidade de desenvolver instrumental próprio e coletar informações para avaliar o desempenho do sistema nacional de saúde. Foram pesquisados os seguintes aspectos: estado de saúde da população; fatores de risco; situações crônicas; utilização de medicamentos e de serviços de saúde; gastos com saúde; e o grau de satisfação com a resposta dos serviços de saúde do ponto de vista do usuário.

Para a avaliação e monitoramento da atenção básica, foi feita a adaptação do instrumento da PMS, resultando em revisão e detalhamento de alguns módulos do questionário original e na introdução de novos, dirigidos, especificamente, ao objeto de investigação. As alterações se voltaram para abordar o domicílio, enfatizando a família, sua composição, as formas de parentesco presentes, as condições socioeconômicas, bem como a percepção sobre o desempenho do Programa de Saúde da Família nos seus diversos aspectos. Em relação à cobertura de programas deu-se ênfase aqueles já estruturados e implementados a partir de ações programáticas que seguem normas pactuadas ao nível do sistema de saúde. A pesquisa foi denominada de Pesquisa Mundial de Saúde - Atenção Básica (PMS-AB), e foi aplicada em vários municípios brasileiros com mais de 100.000 habitantes (Szwarcwald et al., 2006).

No presente projeto, analisam-se os dados coletados da PMS-AB, com a finalidade de avaliação do instrumento utilizado, em todos os municípios e estados em que foi aplicado o inquérito. O enfoque será dado à compreensão e à proporção de ignorados de cada questão bem como à estimativa média, à variabilidade e ao efeito de desenho dos indicadores de avaliação do desempenho do sistema de saúde.

Inquérito RIDE/DF

Um estudo preliminar está sendo realizado na Região Integrada do Distrito Federal (RIDE/DF) para teste do questionário, em parceria com a Universidade Federal de Goiás e a Universidade de Brasília.

O questionário será aplicado em uma amostra de 2400 indivíduos, selecionados por meio de amostragem probabilística no Distrito Federal (DF) e região de Goiás, em torno do DF. A análise do estudo permitirá verificar: a compreensão da linguagem utilizada pela população; inconsistências e problemas no instrumento; planejamento do tempo de execução e do custo por entrevista.

Questionário domiciliar
Contatos com o domicílio

Estudo piloto

Para o pré-teste do questionário da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), os questionários foram informatizados em computadores de mão (PDAs).

O questionário foi, então, revisto em duas etapas. Na primeira, cada parte do questionário foi subdividida em módulos, que foram enviados às áreas técnicas do Ministério da Saúde (MS) para revisão.

Na segunda etapa, foi realizado um estudo piloto de 04 a 28 de março de 2013, com aplicação do questionário e verificação do entendimento dos entrevistados, como também investigação de inconsistências de pulos e incorreções nas perguntas.

A amostra foi não aleatória, e dirigida a obter uma diversidade de indivíduos por sexo, faixa de idade e nível socioeconômico que possibilitassem a revisão dos diferentes módulos.

Para a última etapa do estudo piloto, foi selecionada uma amostra aleatória de setores censitários, em 6 UF (AC, ES, MS, SE, GO, RJ), para teste de todos os procedimentos da PNS, incluindo as medidas físicas e os exames laboratoriais.

Foram treinadas 31 pessoas, entre entrevistadores e supervisores do trabalho de campo. Para tal, preparou-se um manual de instruções, com a explicação de todas as perguntas do questionário e a definição dos termos médicos.

Durante esse estudo piloto, foram identificadas algumas alterações no questionário para facilitar o entendimento de algumas questões abordadas na PNS.

Estudo da validação da amostra casual de urina